Cuide da nutrição dos mais velhos

timthumb.jpg

Cada vez mais se fala em Excesso de Peso e Obesidade. No entanto, não podemos esquecer que a desnutrição é um problema sério e que pode afetar os nossos familiares mais próximos. É importante ter em atenção a alimentação dos seus pais e/ou avós, pois a dita expressão “Uma sopinha ao jantar e um bocadinho de pão chegam” não é de todo a mais correta. Neste sentido, a minha publicação de hoje é sobre esse tema. Por um lado, porque este assunto me preocupa, e por outro, para vos auxiliar em algumas questões e ou dúvidas relativas à alimentação e nutrição dos vossos familiares que alguns de vocês já poderão ter sentido.

É importante que esteja atento a alguns sinais:

-Variações de peso;

-Falta de apetite: O apetite tende a diminuir nesta faixa etária, o que posteriormente se reflete numa reduzida ingestão alimentar e consequentemente, numa reduzida ingestão de nutrientes;

-Sintomas gastrointestinais, como obstipação; diarreia, vómitos, náuseas ou azia;

-Se existir a presença de alguma patologia, certifique-se que a alimentação está ajustada ao controlo e tratamento dessa doença: é importante não esquecer que os idosos com a presença de doenças necessitam de um controle ainda mais apertado da sua ingestão alimentar.

-Dificuldades de deglutição;

Recomendações:

-Seguir as orientações da Roda dos Alimentos: Alimentação completa, variada e equilibrada, de forma a cumprir as recomendações energéticas diárias;

-Os idosos apresentam necessidades nutricionais específicas, pelo que uma intervenção nutricional é fundamental para a adaptação do plano alimentar, para que exista um aporte nutricional adequado;

Evite longos períodos de jejum, não superiores a 8-9horas;

-Realizar pelo menos 5 refeições diárias (refeições de 3h em 3h): variar e diversificar as refeições para assegurar o aporte de vitaminas e minerais;

-Opte por refeições fáceis de digerir de forma a evitar o enfartamento;

-Se houver alterações de deglutição: Prefira alimentos macios e opte por picar ou triturar com a varinha mágica os alimentos de forma a facilitar a sua ingestão – Adapte a consistência dos cozinhados;

-Se houver dificuldade na preparação dos alimentos, poderá preparar uma quantidade maior de refeições de forma a congelar em doses individuais. Assim seria só descongelar e a refeição estaria pronta;

Beber água: Nunca esquecer a hidratação, principalmente nos dias de maior calor. Frequentemente os idosos não sentem sede, o que deverá ser contrariado, uma vez que poderá resultar em desidratação e problemas renais;

-Ser fisicamente ativo: De acordo com as capacidades individuais, mas é importante a realização de atividade física, por mínima que seja.

Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde!

LOGO_HORZ_P&V.png